A saga da Batata Pringles

Quão torturante é esperar algo? enfim, ontem estava eu, pela milionésima vez, esperando minha esposa no aeroporto. As mais de 3 horas de espera me fizeram ir a loucura e voltar a sanidade umas 4 vezes.

Deu fome. Pensei, vou comer! Varri o aeroporto em busca do melhor restaurante/lanchonete. De Macarronada Italiana à duty free. Entrei numa revistaria, pois iria comprar uma revista para acompanhar minha refeição. Olhei de canto e vi uma lata de batata Pringles, sorri pra ela e pensei: “tá louca? não obrigado”. As revistas eram caríssimas, então subi para o segundo piso em busca da refeição perfeita, sem nada para ler. Os pratos da Macarronada Italiana pareciam de ouro, pagar R$20 reias numa salada simples não parecia mostrar muita sanidade (e neste momento eu já havia voltado a ser são). Pão de queijo na Casa do Pão de Queijo? Afff, melhor comprar um Halls.

Rodei, rodei, rodei, fui no carro, voltei, fui no banheiro, voltei, e acabei indo parar na revistaria denovo. Olhei, e ela estava lá, ainda sorridente, com olhar traiçoeiro. Pensei: “dane-se”. Fiz aquela cara de solteiro pegando feia em fim de festa e arrastei a lata de Pringles para o caixa. Chegando lá, deparei-me com diversas pessoas na fila, que foi crescendo atrás de mim. Executivos, Madames, Playboys, pessoas da mais alta classe. Imaginei que um dia gostaria de parecer um daqueles empresários que estavam atrás de mim.

 – R$18,90 – Disse a franzina funcionária do caixa.

Entrei em transe, não sabia o que fazer. Pânico total! eu imaginei que o preço seria uns R$7 reais – no máximo! – todos olhavam, a música do filme psicose começou a tocar. Olhos fixados no meu cartão e na maquininha que a Caixa gentilmente empurrava na minha direção.

Passei o cartão. Comprei a batata de R$18,90. Posteriormente iria descobrir que após comer metade eu não iria querer mais. Eu nunca, veja bem, nunca fiz um investimento tão mal sucedido. Nem mesmo quando eu gastei R$800 reais de matrícula numa faculdade de jornalismo que eu nunca fiz, perdi tanto dinheiro assim! Peguei minha batata Pringles (que neste momento sorria vitoriosa), enfiei meu rabo entre as pernas e saí da revistaria.

Hoje, 1 dia após o acontecido chego a seguinte conclusão:

Tem pessoas que nasceram com muita sorte:

Neymar

Pessoas que nasceram com sorte e estragaram tudo:

Goleiro Bruno

E pessoas que nasceram para se ferrar mesmo:

Comprador de batata Pringles estúpido


Quer conhecer mais sobre o autor e acompanhar novos posts?

Anúncios

4 Respostas para “A saga da Batata Pringles

  1. ..kkkkkkkkkkk cara… hilário!! muito.. mas muito boa!!!!!!!! rsrs “Comprador de Batata Pringles Estúpido!! You’re the best.. or maybe the worst!

    • hahahaha, só ler o seu comentário já fez o esforço de escrever o post valer a pena!

      Acho que até os 18 reais investidos valeram a pena também!
      hahhahaha

      Valeu meu querido!

  2. Vanessa Damasceno dos Santos

    Sempre impiedoso em seus comentários, adorooooooooooooooooooo !!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s