Diretos ao Ponto – por Thiago Segantin

Homens gostam de coisas simples como apertar um botão de interruptor e pronto… temos luz para sempre. Já as mulheres, necessitam ter suas senhas decodificadas. Senhas estas que se assemelham as do cofre do banco central, daquelas que só seria possível decifrar através de um software ultra mega avançado. No pensamento delas claro, isso é tão simples que poderia ser feito rapidamente, sem esfolar o esmalte da unha e com direito a um retoque no batom também.

Continuar lendo

Anúncios

O dia em que me tornei um Ser Humano

Numa manhã, ao despertar de sonhos inquietantes, Seu Barata deu por si, no chão, transformado num gigantesco ser humano. Estava deitado de bruços, sobre o tórax, tão frágil que parecia revestido de gelatina, e, ao virar um pouco a cabeça, divisou o magrelo corpo comprido, que ao mesmo tempo em que parecia uma coisa mole envolta em pele, era divido em duas pernas, dois pés, dois braços e duas mãos, basicamente “mal pensados” e desordenados. Comparados com as inúmeras pernas que possuia ao ir dormir na noite anterior, os míseros dois palitos que aparentemente serviriam para sua sustentação, pareciam inúteis.

Que foi que me aconteceu? – pensou. Não era um sonho. A casa abandonada, uma casa qualquer, ali estava como de costume. As migalhas largadas pelos cantos e embaixo do sofá, que ele estava comendo na noite anterior continuavam ali, porém agora já não lhe agradavam aos olhos. Que por sinal, eram somente dois pequenos orificios pelos quais Continuar lendo

Como estou contruindo minha MARCA – Plugcitários

Eu sou uma Marca.Você é uma Marca.

No mundo do Facebook, Twitter e de todas as mídias sociais, nós somos uma marca. Nós representamos uma marca. Aquela que leva o seu nome. Pode ser João dos Santos ou Luiz Inácio Lula da Silva. Pode ser até Wanderclaydson Neymar Ganso de Souza – sua mãe tinha um péssimo skill para criar marcas, mas ainda assim você tem uma.

Com a mesma sutileza e simplicidade quanto um mais um são dois, a primeira coisa que devemos fazer com nossa marca é lapidá-la. A segunda? vendê-la. A questão é como. De repente você está pensando: mas meu Deus, minha marca atende por Josevaldison, e agora? será que minha única possibilidade de sucesso será trocá-la por uma Tele Sena antiga ou uma bateria velha de carro? A resposta é não. Uma boa restauração e sua marca valerá muitas onças no mercado. Quem sabe valerá mais do que dinheiro?

Espera… terminou? O post não vai continuar?!

(agora você olha pra baixo, procura o resto do texto e não encontra).

Calma, não se desespere. O post vai continuar sim, mas num lugar diferente! A partir de hoje, além das besteiras e baboseiras que escrevo para este blog, cuja minha foto de óculos escuros no banner ninguém aguenta mais, também sou colunista do Plugcitarios.com – Um blog já bastante conhecido que trata sobre publicidade, comunicação, entretenimento, eventos, tecnologia, entre outros.

O blog conta com mais de 100mil visitas mensais e mais de 20mil fãs nas redes sociais, e claro, gostaria muito que todos os MEUS leitores também fizessem parte deste movimento!

Para conhecer o Plugcitários e de quebra ler meu primeiro post lá, é só clicar na imagem ou em uma meia-duzia de links que espalhei pelo texto 😉

PS.: Comentários para este post estão bloqueados aqui, mas são EXTREMAMENTE bem-vindos AQUI.

Quanto vale seu CPF?

Hoje… – e quando eu digo hoje não quer dizer hoje, esse hoje quer dizer ONTEM, quando eu realmente escrevi essa frase – faz com que até agora, o ano de 2012 tenha tido 150 dias ou 5 meses. Durante estes 5 meses, tudo o que nós ganhamos de salário foram, estão sendo e serão ainda usados para pagamento de impostos referentes ao ano de 2012. Trocando em miudos para quem ainda não conhece essa… benção: Se todos os impostos exigidos pelos governos federal, estadual e municipal no ano de 2012, fossem pagos por você de uma só vez, em 5 parcelas mensais e iguais, você estaria quitando seus impostos hoje. Este cálculo não inclui impostos do ano de 2011 ou 2013, mas simplesmente 2012.

Continuar lendo

30 Dias SEM Internet: Uma história de Sobrevivência

Só pra você entender melhor, tudo começou aqui:

Se você já achava que este aspirante a blogueiro era meio lesado das idéias e só estava dando mais uma oportunidade pra ele… bem, acredito que você não vai passar desta: Por que raios, um blogueiro que só tem a internet como veículo de comunicação para suas asneiras, decide ficar… 1 mês sem internet?

Sempre vi pessoas fazendo “Jejum” de várias coisas (entre aspas, pois isto NÃO é jejum de verdade). Um amigo já tentou por 3 vezes ficar 1 mês sem Coca-Cola, em vão. Outro, tentou não ouvir um determinado tipo de música. Minha esposa, uma vez, decidiu ficar 30 dias sem comer pão – Deus, como foi dificil. Eu sei que você está pensando que deixaria de tomar estas ações pelo tempo que quisesse e sem maiores transtornos, mas isso é porque você provavelmente nunca tenha tentado. Tire da sua vida algo que faz todos os dias e você verá o quanto aquilo é importante pra você.

Uma vez, um sábio, muito magrelo e narigudo amigo me disse: sempre que perceber que não consegue viver sem alguma coisa, preocupe-se com ela, pois tem algo muito errado ali. E, posso ser ousado? – pergunta retórica, claro que posso, não é como se você fossee gritar ‘nããão’ agora e eu fosse parar – isto também funciona com pessoas. No início do namoro com minha esposa, se ela saísse da minha vida, voluntária ou involuntariamente eu, sem rodeios, morreria. Assim sem mais nem menos, morreria. Somente após anos de amadurecimento, percebi que nasci sem ela e poderia morrer sem ela. Eu quero isso? Claro que não, ela faz uma lasanha deliciosa. Mas o ponto é: não conseguir viver sem algo ou alguém e se aterrorizar sempre que pensar no assunto não é amor, é doença!

Bem, voltando ao post que está me tirando do fundo do baú da Internet, eu parei pra pensar no que mais me faria falta quando tirado de mim e, adivinha qual foi minha conclusão? Internet, Facebook, Blog, Globo.com, Hotmail, Kibeloco, entre muitos outros. Se eu fosse um médico trabalhando para os “Médico sem fronteiras” na Bósnia, seria mais fácil, mas sou Analista de Sistemas. Viver sem Internet era como colocar um alcoólatra em recuperação pra trabalhar na fábrica da Red Label.

No primeiro dia, abri a página da internet e instantaneamente lembrei-me do propósito que havia feito, fechei prontamente. Ufa, o problema foi que fiz isso involuntariamente 5 vezes durante o dia. No segundo, diminuiu, foram umas duas. Até que do terceiro dia em diante passou a se tornar rotina. Durante este período, como um viciado tratando seu vício, retirei de perto de mim tudo o que me lembrasse internet: ícones, atalhos, links, tudo. Complicado foi lidar com meu celular, mas também dei um jeito nele.

Continuar lendo

Resposta à minha ex-leitora.

Nesta semana, uma determinada leitora, digo, ex-leitora, publicou em sua página do facebook uma resposta para o texto “Ser um Ateu Santo ou um Evangélico Ladrão?”.

Bem ex-leitora, você levou SUA resposta pertinente MEU texto, ao SEU círculo de pessoas publicando-a no SEU facebook, nada menos justo de eu ter MINHA resposta publicada no MEU círculo de pessoas. Não obstante, você também ditou o tom da minha resposta utilizando um tom indubitavelmente acusativo em seus comentários.

Continuar lendo

Ser um Ateu Santo ou um Evangélico Ladrão?

Continuar lendo